Leptina alta: O que é e quando devo me preocupar

A leptina é um hormônio produzido pelas células lipídicas, que age diretamente no cérebro e que tem como principais funções controlar o apetite, reduzir a ingestão de alimentos e regular o gasto energético, permitindo a manutenção do peso corporal.

Normalmente, quando o corpo possui muitas células de gordura, ocorre um aumento da produção de leptina, enviando ao cérebro a mensagem para diminuir a ingestão de alimentos. Entretanto, em algumas pessoas a ação do hormônio pode estar alterada, fazendo com que o organismo não responda a ele mesmo havendo muita gordura corporal.

Verificando os níveis hormonais

Os níveis de leptina são verificados por meio de exame de sangue, solicitados por médico ou nutricionista. O exame é feito em jejum e o tempo desse jejum pode variar de um laboratório para o outro.

A leptina deu alta e agora?

A leptina alta, conhecida como hiperleptinemia, geralmente ocorre em casos de obesidade. Com uma quantidade de células de gordura muito alta, a produção do hormônio está sempre elevada e o cérebro passa a entender isso como algo normal e a regulação do apetite perde eficiência.

Além disso, a ingestão de alimentos como produtos industrializados, processados, enlatados, ricos em gordura ou açúcar, por exemplo, podem causar uma inflamação nas células, o que também contribui para a resistência à leptina. Esta resistência leva a um aumento da fome e à redução da queima de gordura pelo corpo, dificultando o emagrecimento.

O que fazer quando a leptina está alta

Algumas formas simples de reduzir e normalizar os níveis de leptina alta e reduzir a resistência a esse hormônio, contribuindo para a perda de peso são:

  1. Emagrecer de forma lenta - Perder peso de forma gradual faz com que a readaptação ao hormônio seja mais tranquila. Quando há perda de peso repentina, o cérebro entende que é uma fase de restrição alimentar e, desta forma, estimula o apetite.
  2. Evitar alimentos que causam resistência à leptina - Alguns alimentos como açúcar, doces, comidas muito engorduradas, produtos enlatados e processados podem causar uma inflamação nas células e levar à resistência à leptina. Além disso, esses alimentos aumentam o risco de desenvolver diabetes, doenças cardiovasculares e obesidade. 
  3. Seguir uma dieta saudável - Ao fazer uma dieta saudável, o corpo recebe todos os nutrientes necessários, o que causa uma tendência natural de diminuição do apetite. Veja como fazer uma dieta saudável.
  4. Fazer atividade física - As atividades físicas ajudam a reduzir a resistência à leptina, ajudando na sua ação de controlar o apetite e aumentar a queima de gorduras. Para emagrecimento saudável, o recomendado é fazer 20 a 30 minutos de caminhada todos os dias, junto com uma dieta saudável. É importante, fazer uma avaliação médica antes de iniciar a atividade física e, principalmente para obesos, deve-se ter acompanhamento de um educador físico para evitar esforço exagerado e risco de lesões que podem desestimular a perda de peso.
  5. Dormir bem - Alguns estudos mostram que não dormir de 8 a 9 horas de sono, pode reduzir os níveis de leptina e causar aumento do apetite. Além disso, o cansaço e o estresse de não dormir o suficiente, aumentam os níveis do hormônio cortisol, dificultando a perda de peso. 
Gostaria de saber
mais sobre o
tratamento?
Agende Sua Consulta
[wpdevart_facebook_comment facebook_app_id="2348685775181667" curent_url="https://dralarissadiniz.com.br/leptina-alta-o-que-e-e-quando-devo-me-preocupar/" order_type="social" title_text="" title_text_color="#444444" title_text_font_size="16" title_text_font_famely="Cabin" title_text_position="left" width="100%" bg_color="#ffffff" animation_effect="random" count_of_comments="3" ]

O que achou do nosso conteúdo? Avalie:

Clique para Avaliar

Classificação Média 4.7 / 5. Contagem de Votos 68

Sem votos! Seja o primeiro!

Categorizado em:
Dra. Larissa Diniz
Médica, pós-graduada em Medicina Integrativa, Preventiva e Nutrologia, com experiência na área da Medicina da Saúde e do Estilo de Vida, tratando de doenças autoimunes, metabólicas, hormonais, crônicas e prevenção de doenças, sempre atuando na sua causa com uma Medicina Personalizada.

Pesquisar

searchclosedownloadmap-markerchevron-leftfacebook-squarebarsenvelopecomments-ostethoscopeinstagramwhatsappcalendar-check-ocross-circle linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram