Hormônio da felicidade? É científico? Descubra.

Imagine poder acessar facilmente um mecanismo para se sentir feliz.

Esqueça os problemas do trabalho, os conflitos da família, questões financeiras... você apenas aciona este “elemento” e se sente bem.

Não somos máquinas, portanto é impossível apertar um botão para que tudo em nossas vidas fique perfeito, mas podemos ativar “substâncias” da felicidade.

Segundo a pesquisadora Loretta Breuning, da Universidade da Califórnia, "quando o seu cérebro emite uma dessas químicas, você se sente bem".

Então vem o questionamento: Você sabe realmente o que te faz feliz?

Muitas pessoas pensam que a condição da felicidade está em fatores externos, como estabilidade financeira, sucesso profissional ou a realização de alguma meta distante… porém, a felicidade se trata de uma questão mais interna e simples.

Neste artigo você descobrirá tudo sobre as causas biológicas da felicidade em seu próprio corpo e o que fazer para provocar o seu bem estar intencionalmente.

Hormônio da felicidade: a causa biológica do bem estar humano

Quando uma pessoa querida te dá um presente, você fica feliz. Mas sabe por que?

As respostas estão dentro do cérebro e é aí que os neurocientistas revelam os “segredos” da felicidade.

Os pesquisadores analisam a forma com que o corpo reage aos eventos cotidianos, tratando a felicidade como um processo biológico, e assim descobrindo qual é o mecanismo físico que acionou essa sensação emocional.

Sabemos que as causas da ansiedade, por exemplo, podem envolver situações de pressão e eventos traumáticos. No extremo oposto, com a felicidade, também se trata de reações químicas desencadeadas no corpo após um acontecimento.

Portanto, a neurociência acredita que a felicidade não é algo abstrato, mas sim um estado físico.

Tudo isso vem dos neurotransmissores que são ativados no corpo humano a partir de ações ou eventos. Também chamado de “Quarteto da Felicidade”, estes neurotransmissores são: endorfina, serotonina, dopamina e ocitocina.

Cada uma dessas substâncias químicas, liberadas naturalmente pelo cérebro, exerce um trabalho específico e muito especial para o nosso organismo.

Continue a leitura para conhecer cada um deles e saber como usá-los a seu favor.

Endorfina, serotonina, dopamina e oxitocina - Conheça definitivamente os hormônios da felicidade

O “Quarteto da Felicidade” sempre é mencionado em conjunto, mas cada um destes neurotransmissores tem um papel e é produzido em situações específicas.

  • Endorfina: um analgésico natural

Toda vez que você experimenta uma sensação boa, de satisfação e felicidade, após praticar um exercício físico, a endorfina está trabalhando em seu corpo.

Considerada uma morfina natural, ela interfere na maneira como o sistema nervoso entende e sente as dores.

Ao comer alimentos picantes, dançar e trabalhar em equipe, ela é liberada e estimula a união social e tolerância à dor.

  • Serotonina: relaxe e sorria

Toda vez que você se sente importante, a serotonina está ativada. Por outro lado, quando você só tem pensamentos e sentimentos negativos, e não consegue se lembrar de situações felizes, ela está em baixa - sendo um sintoma de depressão.

Ela é o neurotransmissor responsável por controlar o sono, o bom humor, a fome e até mesmo a libido. É liberada quando ouvimos músicas agradáveis ou passamos um tempo de qualidade na natureza. 

Portanto, caminhar em um parque, sentar na grama, encostar nas árvores, ajudam a elevar os níveis de serotonina e beneficiam o seu corpo.

  • Dopamina: motivação no dia a dia

A dopamina aumenta a nossa sensação de vitalidade, disposição e motivação, sendo conhecida como “mediadora do prazer”.

Toda vez que você dá o primeiro passo rumo a um objetivo, ou quando cumpre uma meta, essa substância é acionada - isso vale desde coisas simples, como terminar de lavar a louça até realizações maiores, como ser promovido no trabalho.

  • Oxitocina: a química do amor

A oxitocina é um composto cerebral importante na construção da confiança, que é necessária para desenvolver relacionamentos emocionais.

Estar com pessoas queridas, abraçar, dar e receber presentes, são formas de aumentar a oxitocina no organismo, por isso sentimos que estas situações são tão importantes para nossas relações e bem estar pessoal.

Além disso, a oxitocina ajuda a combater a depressão, ansiedade e aumenta o desempenho sexual, agindo junto com a testosterona, no homem, e a progesterona, na mulher.

Como provocar a sua própria felicidade produzindo mais dopamina, oxitocina, endorfina e serotonina

Agora você percebeu que coisas comuns, como abraçar alguém que você gosta ou passar um tempo em contato com a natureza para se sentir bem, não é apenas papo de hippie, pessoas zen ou “good vibes” - é evidência científica.

Assim como o tratamento para ansiedade inclui alimentação natural, prática de atividades físicas e momentos de lazer, o cultivo da felicidade pessoal também inclui atitudes simples assim.

Certos alimentos provocam os hormônios da felicidade, portanto vamos sintetizar fontes nutricionais fáceis para que você possa incluir este bem estar em sua dieta.

  • Endorfina

Para ativar o neurotransmissor “analgésico natural”, coma alimentos picantes.

A piperina é um composto orgânico presente na pimenta do reino. Aproveite e utilize a pimenta do reino com um pouco de cúrcuma, pois a piperina potencializa a sua ação.

  • Serotonina 

Inclua alimentos ricos em triptofano (um precursor da serotonina), vitamina B3 e aminoácidos que auxiliam a produção de serotonina.

Aposte em leguminosas como feijão, lentilha, nozes, cacau, cereais integrais – aveia e arroz integral são as melhores indicações – além dos peixes marítimos e sementes de abóbora.

  • Dopamina 

A dopamina é um hormônio de fácil oxidação, portanto ingerir mais antioxidantes podem reduzir os radicais livres, que provocam danos às células, amenizando o processo oxidativo da substância.

As vitaminas C, E e A são exemplos de antioxidantes, além do selênio e do zinco. Outras fontes são: aveia, linhaça, laranja, brócolis, espinafre, romã, cereja, maçã e avelã.

  • Oxitocina

A oxitocina, mencionada acima como a química do amor, está profundamente ligada aos relacionamentos, portanto para produzi-la é preciso agir no contexto afetivo.

Para alavancar a presença desse hormônio no organismo se entregue ao contato físico com as pessoas que você gosta. Abraçar seus amigos, dar e receber carinho, massagem e cafunés melhora suas relações e te faz mais feliz.

Agora você já sabe o que causa a sua felicidade e como você pode aumentá-la em sua vida, através da sua dieta e atividades simples e fáceis.

Para ser feliz, não é preciso alcançar conquistas externas, mas sim cultivar seu próprio bem estar através da química do seu corpo. É científico.

Quer tirar suas dúvidas e sentir os benefícios da medicina preventiva em sua vida? 

Clique em Agende Sua Consulta.

Gostaria de saber
mais sobre o
tratamento?
Agende Sua Consulta
[wpdevart_facebook_comment facebook_app_id="2348685775181667" curent_url="https://dralarissadiniz.com.br/hormonio-da-felicidade-e-cientifico-descubra/" order_type="social" title_text="" title_text_color="#444444" title_text_font_size="16" title_text_font_famely="Cabin" title_text_position="left" width="100%" bg_color="#ffffff" animation_effect="random" count_of_comments="3" ]

O que achou do nosso conteúdo? Avalie:

Clique para Avaliar

Classificação Média 4.6 / 5. Contagem de Votos 62

Sem votos! Seja o primeiro!

Categorizado em:
Dra. Larissa Diniz
Médica, pós-graduada em Medicina Integrativa, Preventiva e Nutrologia, com experiência na área da Medicina da Saúde e do Estilo de Vida, tratando de doenças autoimunes, metabólicas, hormonais, crônicas e prevenção de doenças, sempre atuando na sua causa com uma Medicina Personalizada.

Pesquisar

searchclosedownloadmap-markerchevron-leftfacebook-squarebarsenvelopecomments-ostethoscopeinstagramwhatsappcalendar-check-ocross-circle linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram