Capitulo 1: Estresse, ansiedade e depressão

Tempo de Leitura: 2 minutos

Capitulo 1: Sono

Tempo de Leitura: 2 minutos

Estresse, ansiedade e depressão

Tempo de Leitura: 2 minutos

Para entender o que o estresse, a ansiedade e a depressão causam em relação ao  emagrecimento, é importante entender que há dois comportamentos completamente diferentes ligados a distúrbios alimentares. Sendo eles comportamentos compulsivos e transtornos alimentares.

São mais comuns as pessoas que têm propensão genética ao aumento de peso terem um aumento na alimentação, podendo se tornar uma compulsão.
Por outro lado, há casos de pessoas que sofrem de transtornos alimentares como anorexia, bulimia nervosa, dentre outros; onde o indivíduo fica muito tempo sem se alimentar ou acaba comendo e depois, sente-se culpado ou arrependido e acaba induzindo o vômito.

O estresse faz com que o cérebro receba uma mensagem de ameaça. Por isso, aumenta a produção dos hormônios adrenalina e cortisona, que diminuem a queima de calorias. Por sua vez, o cortisol desregula o controle de apetite e acelera a multiplicação das células de gordura.

Isso acontece porque nessa situação, o corpo tende a produzir mais reservas de energia em forma de gordura para que o organismo tenha uma boa reserva calórica que possa ser utilizada em casos de crise alimentar ou momentos de luta.

Semelhante ao estresse, devido ao excesso de cortisol, que deixa também uma sensação de corpo cansado e sem ânimo, a ansiedade também diminui a motivação do indivíduo para buscar um estilo de vida saudável, fazendo com que não se tenha ânimo de praticar atividade física e se alimentar bem.

Já a depressão é uma doença que pode ser genética, que se traduz por uma queda da energia tanto do sistema nervoso quanto do corpo em geral. Seus sintomas principais se caracterizam por alteração no humor, tristeza, irritabilidade, alterações no sono, desequilíbrio emocional, mal estar físico, diminuição do limiar de dores em geral, insegurança, falta de concentração etc. Podendo haver alterações nas quantidades de neurotransmissores. Freqüentemente está associada a estresse crônico.


Quem sofre de depressão tem muita dificuldade para emagrecer. No processo de emagrecimento, no momento em que se necessita muita concentração no objetivo, a depressão precisa ser detectada e abordada de forma adequada, para que se tenha sucesso.

Para ter mais motivação, deve-se pode-se usar estratégias como ir praticar atividade física ao ar livre ou com um amigo para ter companhia e pedir que amigos e familiares também procurem ter uma rotina saudável para servirem de estímulo.

  • Estabelecer metas reais de perda de peso junto com um profissional também ajuda a manter o ritmo saudável de emagrecimento e a reduzir a cobrança pessoal para emagrecer rapidamente.
  • Consumir regularmente alimentos ricos em ômega-3, como sardinha, salmão, atum e castanhas, e alimentos ricos em triptofano, como banana, aveia e arroz integral, também ajudam a melhorar o humor e manter a motivação elevada.
searchclosedownloadmap-markerchevron-leftfacebook-squarebarsenvelopecomments-ostethoscopeinstagramwhatsappcalendar-check-ocross-circle linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram